domingo, 27 de abril de 2008

ESSÊNCIA FEMININA








Essência femenina





Na semi - escuridão do quarto
comungo os segredos da pele bronzeada
de teu dorso nu.

A noite fresca contribui com estrelas no céu,
constelações de desejos e fantasias.

Uma corrente de amor percorre o corpo
após um guloso beijo na boca.
Seguimos a trilha do sexo
e mudos de prazer só respiramos.

O tórax suado cola em meu peito arfante,
sinto-me num templo sagrado de prazer
com tua língua descendo por meu ventre
para concentrar-se naquele ponto de contato delicioso
da essência feminina,
que acordar cada célula do ser.

Somos desejos ferventes sobre a cama
em sua doce desordem,
somos deuses imortais da luxúria,
a envenenar-se com beijos e carícias.

AI QUE DELÍCIA!!!!



By Vânia Moraes
Livro sagrado e profano



11 comentários:

{iSiS} disse...

Lindíssimo, como sempre!
Beijos no seu coração
[iSiS}

Louis Alien disse...

apresento-me, Alien, vindo de cantos perdidos e roucos da galáxia de Andrômeda...

Anônimo disse...

Olá,

Olá,

Passando para conhecer seu belíssimo espaço e desejar uma linda noite cheinha de paz.

Smack!

Edimar Suely
jesusminharocha.blig.ig.com.br

Anônimo disse...

e como posso medir meu intenso amor,se o jorro de prazer de seu corpo em meu rosto,me dispara o coração ...

Guará Matos disse...

Uma delícia!!!
Você desnuda o prazer, trangredindo seus tabus.
Amei....lindo.

Louis Alllien disse...

saudades de ti mulher!!!

marcelo disse...

Você me fez sonhar ... e eu sonhei. Olhando bem dentro de você, enquanto li um brilho de emoção numa lágrima furtiva, deveria enxuga-la? Você me diz que não, sem abrir a boca. Para vivermos a vida faz-se necessário senti-la, então sintamos e vivamos esse momento sublime, único, perfeito, seria daí a noção de perfeição? O que importa? Eu tenho você em minhas mãos, frenética, frêmula, ofegante, suada, exausta, amando e sendo amada, sensual, mulher. Por favor, me deixe viver nesse meio, hostil e magnético, eu preciso, a humanidade precisa. Devemos nos amar e dar continuidade a nossa espécie.

Marcelo (Logan)

marcelo disse...

Você me fez sonhar ... e eu sonhei. Olhando bem dentro de você, enquanto li um brilho de emoção numa lágrima furtiva, deveria enxuga-la? Você me diz que não, sem abrir a boca. Para vivermos a vida faz-se necessário senti-la, então sintamos e vivamos esse momento sublime, único, perfeito, seria daí a noção de perfeição? O que importa? Eu tenho você em minhas mãos, frenética, frêmula, ofegante, suada, exausta, amando e sendo amada, sensual, mulher. Por favor, me deixe viver nesse meio, hostil e magnético, eu preciso, a humanidade precisa. Devemos nos amar e dar continuidade a nossa espécie.

Marcelo (Logan)

Marcelo Logan disse...

Você me fez sonhar ... e eu sonhei. Olhando bem dentro de você, enquanto li um brilho de emoção numa lágrima furtiva, deveria enxuga-la? Você me diz que não, sem abrir a boca. Para vivermos a vida faz-se necessário senti-la, então sintamos e vivamos esse momento sublime, único, perfeito, seria daí a noção de perfeição? O que importa? Eu tenho você em minhas mãos, frenética, frêmula, ofegante, suada, exausta, amando e sendo amada, sensual, mulher. Por favor, me deixe viver nesse meio, hostil e magnético, eu preciso, a humanidade precisa. Devemos nos amar e dar continuidade a nossa espécie.

Marcelo (Logan)

Marcelo (Logan) disse...

Você me fez sonhar ... e eu sonhei. Olhando bem dentro de você, enquanto li um brilho de emoção numa lágrima furtiva, deveria enxuga-la? Você me diz que não, sem abrir a boca. Para vivermos a vida faz-se necessário senti-la, então sintamos e vivamos esse momento sublime, único, perfeito, seria daí a noção de perfeição? O que importa? Eu tenho você em minhas mãos, frenética, frêmula, ofegante, suada, exausta, amando e sendo amada, sensual, mulher. Por favor, me deixe viver nesse meio, hostil e magnético, eu preciso, a humanidade precisa. Devemos nos amar e dar continuidade a nossa espécie.

Marcelo (Logan)

Anônimo disse...

Contemplado esse poema, redescobri porque é bom demais ser humano. Hum... Clóvis Moreira Santos.