quinta-feira, 11 de agosto de 2011

INVERSO...

Não negue ao seu corpo,

o meu prazer.

Venha... deixe-o estremecer

Nas carícias audaciosas de minhas mãos,

Na saliva quente de minha língua,

Na fome louca de minha boca.




Vem... desnuda-o inteiro para mim

e saberei fazer florescer o tesão

em cada centímetro da carne que me negas.




Em tua pele suada

brotarão arrepios,

sucumbirá por fim

esta razão velada

que te impede

de cair em meus braços,

de perder-se em meus abraços.




Não quero ouvir palavras de amor...quero sussurros.

Não quero vocábulos com sentidos...quero desatino.

Não quero expressões perfeitas...quero murmúrios.



Ou então,

dê-me o silêncio dos olhos tarados,

dos lábios sedentos,

das mãos errante,

assaltantes dos poros

na busca de recantos prazerosos.






Entrega-te ao desejo sentido,

permitindo que meus beijos ardentes

copulem com seus anseios frementes.



Vânia Moraes


2 comentários:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Delícia de versos... sentimentos à flor da pele!
Sigo-te!

A.S. disse...

Belo!... Deliciosamente excitante. Puro tesão!
Cada palavra é uma ardente caricia deslizando docemente sobre a pele!...

Beijosss...
AL