quinta-feira, 26 de abril de 2007

BANQUETE






Banquete


Fome e sede.
Sede e fome...mistura explosiva,
aguçando os sentidos,
despertando a libido.

Corpos suados...tempero selvagem
escorrendo dos poros
para o deleite da língua
que desfila arrepios no rumo
do mamilo frutífero,
da taça íntima que transborda
a seiva do prazer que
se esvai por entre as pernas.
SIRVA-SE


By Vânia Moraes

Livro Profano e Sagrado






4 comentários:

zeze disse...

Oi

Quando nós nos encontramos bem com nós proprios que mais podemos pedir do que um banquete desses...

Beijokas

Daniele disse...

Minha amiga e poetisa tão querida Vânia,

Que saudade de ti, dos seus versos...que alegria infinita na sua volta. Eu lhe enviei vários e-mails, mas voltaram, fiquei muito preocupada com você.

Minha linda poetisa, amo a sua poesia, esses versos que aguçam que despertam, que delitam, que fluem deliciosamente envolvendo corpos, provocando arrepios...

Soberbo seu poema como sempre,

Beijos na sua alma,

P.S. Vou vir sempre aqui, comungar contigo, lhe ver e por gentileza não suma mais! :o)

Daniele disse...

Minha querida você lançou nesse tempo o livro ou já havia lançado? Conte-me mais sobre o seu livro.

Meu e-mail: daniele.vs@gmail.com

♥Princess♥Fabiana♥ disse...

Que poema lindissimo :)
Quem não gostaria de um bankete assim?
Bjo Fabi***